Automotivo
10 de junho de 2019

O trabalho é de funilaria? Você sabe qual a melhor escolha, lixa a seco ou d’água?

No momento da funilaria, você sabe quando utilizar uma lixa a seco ou d’água? Clique aqui e conheça as vantagens e desvantagens de cada modelo!

Tempo de leitura:

Trabalhar com funilaria e pintura é assunto sério! Por isso, profissional de responsa não pode ter dúvidas na hora do reparo. Escolher entre uma lixa a seco ou d’água é muito importante para garantir um acabamento impecável nos serviços automotivos. Além disso, entender quais são os tipos de lixa também é fundamental para atingir o objetivo desejado.

Muitas vezes, até mesmo os profissionais mais experientes ficam em dúvida. Afinal, são muitos os detalhes sobre cada modelo. Descubra quando usar lixa d’água, para que serve a lixa a seco e quais lixas usar em cada situação!

Quando utilizar lixa a seco ou d’água?

Quando olhamos mais de perto quais são os tipos de lixa, logo percebemos que algumas delas são muito melhores em certas superfícies - enquanto outros modelos podem até mesmo causar danos quando mal utilizados.

As lixas a seco se dividem em grupos diferentes, de acordo com os materiais em que elas serão usadas.

As lixas com grãos maiores são indicadas para o nivelamento das superfícies mais pesadas nos automóveis - para aqueles trabalhos de recuperação da peça. Já quando o assunto é aquele acabamento perfeito, as lixas de grãos finos são ideais!

Agora, se é necessário remover rebarbas dos objetos lixados e, ao mesmo tempo, limpar o pó ou resíduos gerados por esse trabalho, é mais indicado usar a lixa d’água. Utilizada principalmente em acabamentos finos, naquele martelinho de ouro, ela é aplicada úmida.

Para que serve a lixa a seco em automóveis?

Quando-utilizar-lixa-seca-ou-dagua

As lixas a seco podem ser usadas em uma grande variedade de itens automotivos, de acordo com a sua composição e granulação.

Veja só:

  • Em quais ocasiões usar
  • Nivelamento de superfícies automotivas;
  • Acabamentos em latarias;
  • Rebarbação e desbaste em plásticos, como molduras de portas e para-choques;
  • Remoção de ferrugem;
  • Lixamento em peças que contenham tinta pigmentada de poliéster, verniz e alumínio;
  • Lixamento de riscos;
  • Preparação para pinturas.


Em quais ocasiões não usar

  • Em superfícies muito desgastadas ou delicadas.

Prós

  • Permite trabalhar em superfícies mais grosseiras e até rígidas;
  • Praticidade;
  • Grande variedade de grãos e modelos - o que permite o uso em vários tipos de latarias;
  • Utilização que não depende de outros produtos;
  • Armazenamento descomplicado;
  • Rendimento superior,
  • Ambiente mais higiênico, limpo e salubre;
  • Evitam poças d’água.

Contras

  • Preço mais alto em comparação com as lixas d’água.

Quando usar lixa d’água?

 

Além dos casos que já citamos, as lixas d’água também podem ser aplicadas em algumas situações no ramo automotivo.

Confira:

Em quais ocasiões usar

  • Preparação para reparação automotiva;
  • Lixamento de primers e massa.

Em quais ocasiões não usar

  • Lixamentos de latarias mais grosseiras;
  • Materiais sem resistência à água ou querosene;
  • Materiais de ferro;
  • Desbastes.

Prós

  • Bom acabamento para trabalhos delicados;
  • Alta flexibilidade e fácil de usar.
  • Custo benefício;

Contras

  • Cuidados especiais exigidos durante a sua utilização;
  • Mergulhar as lixas no balde antes ou depois de aplicá-las ou deixá-las acumuladas umas sobre as outras são atitudes que podem causar a contaminação dos grãos - gerando riscos nas superfícies e reduzindo o seu tempo de uso;
  • Após a utilização não deixar em ambiente úmido.

Quais as principais vantagens das lixas para reparos automotivos?


Tanto as lixas d’água quanto os modelos a seco podem ser utilizados para trabalhos em automóveis. Seco ou d'água, existe a lixa adequada para cada etapa do trabalho com automotivos.

Fique tranquilo, preparamos um resumo sobre as lixas para você entender as principais características e vantagens para quem trabalha com automóveis:

  • Cobertura e aderência perfeitas da tinta, no caso de pinturas;
  • Ausência de marcas após o lixamento;
  • Excelente padrão de acabamento;
  • Polimento e reparações perfeitas em automóveis;
  • Nivelamento perfeito de superfícies;
  • Chances menores de desgaste excessivo em massa, verniz ou demais materiais.

E aí, gostou de saber mais sobre os tipos de lixa e quais lixas usar em cada processo? Já sabia quando usar lixa d’água e para que serve lixa a seco? Quer descobrir como fazer um bom polimento automotivo com elas? Saiba mais em nosso blog!

Nova call to action

Comentários

Assine a newsletter