Automotivo
16 de Outubro de 2020

Reparo de pintura automotiva: 5 dicas para fazer um ótimo serviço!

Você sabe quais são as 5 principais dicas para o reparo de pintura automotiva? Leia nosso blogpost e veja se elas estão sendo seguidas na sua oficina!

Tempo de leitura:

A lataria de um carro não costuma ficar intacta por muito tempo, do jeito que saiu da fábrica. Quem trabalha com a manutenção de veículos sabe bem disso, não é? Às vezes, antes mesmo de fazer a primeira revisão no conjunto mecânico, é necessário um reparo de pintura automotiva.

Pode ser que uma pedrinha tenha sido acidentalmente lançada pelas rodas da frente. Um erro de cálculo na hora de estacionar também costuma provocar uma raspagem na coluna da garagem. E nem sempre o proprietário quer ter de conviver com essas marcas de uso sem maior gravidade, concorda?

Aliás, clientes exigentes sempre buscam profissionais qualificados no mercado de reparação automotiva para entregar o resultado esperado. Pensando nisso, você precisa saber quais são as 5 principais dicas de realização de um ótimo serviço de pintura automotiva. É isso o que vamos te contar aqui!

1. Conte com materiais de qualidade

O talento e a boa qualificação de um reparador automotivo não é suficiente para superar o uso de materiais ruins, viu? Eles influenciam tanto no resultado do serviço, verificado imediatamente depois da conclusão, quanto na durabilidade.

Conquistar novos clientes não é tarefa assim simples. Agora, para perder os que você já tem, basta um deslize seu. Além de ir para a concorrência, eles ainda podem criticar o seu serviço com terceiros. Por isso, priorizar a satisfação do cliente com materiais de qualidade é a palavra-chave de quem busca se consolidar no mercado.

Quando o serviço demandado é a pintura de um automóvel ou de uma parte da lataria, por exemplo, a primeira preocupação deve ser com a retirada da pintura anterior. Ela pode ser feita com o lixamento da superfície ou a aplicação de removedor.

Antes da aplicação da tinta, a superfície precisa ser limpa e nivelada com massa. E essa é uma das etapas mais complexas do reparo de pintura automotiva!

É muito importante que nela também sejam empregados materiais de boa qualidade, porque a contaminação da peça e o uso de massa inadequada ao serviço gera problemas imediatamente visíveis. Sem falar da necessidade de retrabalho, não é mesmo?

Ainda, dê valor para a boa funilaria. É ela que vai definir a qualidade do serviço. Afinal, você sabe: quando essa etapa é feita de qualquer jeito, mais massa acaba sendo aplicada. Isso gera retrabalho e ainda estraga o resultado final, certo?

Por fim, lembra que falamos que não adianta somente profissional capacitado sem material certo? Bem, o contrário também é verdade. Por isso, para acertar no ajuste da pintura dos veículos, conte com a parceria de coloristas e bons fornecedores, que te ajudem com as melhores dicas de maquinário e catálogo de cores.

2. Certifique-se de que o ambiente de pintura tem boa iluminação

Nem sempre os ambientes de oficinas de reparação são tão bem iluminados quanto deveriam ser, acredita? O pé direito alto aliado ao uso de lâmpadas de baixa potência atrapalham esse tipo de serviço, que exige muito do olhar atento do reparador.

O problema pode ser uma herança das antigas lâmpadas incandescentes, comuns há não muito tempo. Elas geravam preocupação com a conta de energia elétrica, porque só um baixo percentual dos watts consumidos era transformado em luminosidade.

Ainda por cima, essa variedade de lâmpada gerava muito calor. Ou seja, significava alto consumo e em nada ajudava na iluminação do ambiente. Mas hoje já é possível resolver o caso sem tomar um susto com a conta de luz.

Afinal de contas, com o uso de lâmpadas fluorescentes e de LED, dá para deixar a oficina bem iluminada e ainda economizar na energia. Elas costumam gastar cerca de três vezes menos eletricidade e duram muito mais tempo.

3. Aprenda sobre os variados tipos de lixa e saiba como usar

Uma das principais aliadas do procedimento de reparo de pintura automotiva é a lixa. Como falamos, ela pode ajudar a remover a pintura antiga e ainda facilitar a fixação da massa. Depois disso, ela também é a responsável por nivelar a superfície.

Mas todo o serviço não é feito com um mesmo tipo de lixa, claro. A abrasividade desse material varia de acordo com a etapa do processo. A correção das imperfeições é feita com a utilização da lixa junto a um taco rígido. Tudo feito de forma sutil, para se adequar às curvas do veículo.

O acabamento já pode ser feito com a ajuda de uma ferramenta elétrica roto-orbital. Com o devido cuidado do profissional do setor automotivo, ela ajuda a conseguir um resultado muito próximo ao da lataria original. Por fim, novamente, vai ser necessário limpar a peça antes da aplicação das camadas de tinta.

4. Prepare o veículo para o procedimento

Na etapa que antecede a aplicação da nova pintura, você vai fazer o mascaramento do veículo, certo? Esse processo consiste no isolamento das áreas que não vão ser pintadas. Portanto, elas precisam ficar protegidas dos respingos de tinta.

Essa técnica pode ser feita com papel, plástico ou líquido de mascaramento. Também é importante realizar uma nova limpeza da superfície que vai receber a pintura. Assim, são retiradas as impurezas que podem ter ido parar ali — vindas do chão ou do próprio material usado.

5. Preste atenção nas etapas de corte, refino e lustro

Depois da aplicação das camadas de tinta e verniz, vem o acabamento da pintura. Ele é feito por meio das etapas do polimento da área que foi pintada. Acontece que só a tinta e o verniz não entregam o resultado esperado.

A superfície geralmente fica opaca e com outras imperfeições naturais do procedimento de pintura. O polimento, então, deve ser feito com o veículo limpo, seco e ao abrigo do sol. Somente depois é que se pode aplicar a cera adequada para o serviço sobre a lataria.

E a ferramenta também deve ser a certa para o procedimento, combinado? Equipada com uma boina de lã. Esse é o primeiro corte. O segundo seguirá a mesma lógica, só que com uma boina amarela, mais fina e utilizada para remover algumas marcas da etapa anterior.

O lustro é feito com um pano de microfibra e com outros produtos escolhidos pelo reparador. Lembre-se de que eles devem ser de boa qualidade! O objetivo dessa última etapa é intensificar o brilho da camada de verniz.

A Norton, marca de referência em todo o país, oferece um catálogo completo com produtos destinados a todas as etapas do reparo de pintura automotiva, da pintura ao polimento. Nossa linha de soluções é pensada justamente para que você consiga superar todas as expectativas dos seus clientes.

Gostou das dicas de reparo de pintura automotiva? Então, fale agora com a gente e saiba como vamos ajudar a sua oficina!

Comentários