26 de Julho de 2022

Blindagem de carros: veja tudo que o funileiro precisa saber!

No processo de blindagem de carros o funileiro deve ter atenção redobrada. Confira!

Tempo de leitura:

Quando falamos sobre blindagem de carro, estamos nos referindo a uma alta tecnologia automobilística que promove grande proteção para quem está no volante. É um processo que deve ser feito a partir de materiais de qualidade, com o que é mais avançado no mercado.

As particularidades de cada etapa de produção do automóvel também devem ser consideradas. Isso é essencial para oferecer um alto nível de segurança, pois é essa característica que o comprador espera.

O processo de funilaria é importante para a blindagem de carros. É ele que garante o sucesso de todo o sistema. Além disso, os materiais devem passar por teste de qualidade laboral e seguir a norma NBR 15000 para ser eficaz. O procedimento de blindagem também deve preservar as características iniciais do veículo a fim de mantê-lo com aparência original. 

Quer saber mais? Para entender todos os detalhes sobre a blindagem de automóveis e as informações necessárias para os processos de funilaria, confira o conteúdo que preparamos a seguir.

O que é blindagem de carros?

A blindagem de carros é uma proteção estrutural para o veículo. O fortalecimento é necessário para resistência balística, logo, o principal motivo para realizar o procedimento é a garantia da segurança do veículo.

Além disso, é possível proteger motoristas e passageiros da violência em grandes centros urbanos com a blindagem, porque é resistente até a ataques mais diretos de armas de fogo. Não à toa, existe um crescimento na taxa de automóveis blindados.

Hoje, o número chega a aproximadamente 200 mil veículos blindados em todo o Brasil, o que resulta no aumento da procura por blindagem de carros nas diversas regiões.

Como é feito o processo de blindagem?

Para realizar o processo, é necessário fazer uma solicitação ao Exército Brasileiro. A blindagem é um método de alta segurança que precisa passar por uma análise e permissão prévia ,antes de ser iniciada. Depois dessa etapa que não deve ultrapassar 120 dias —, o proprietário do veículo terá o documento de autorização.

A partir daí, o serviço de blindagem pode ser realizado. Ele começa com o desmonte total do veículo. Para garantir a proteção balística total, colocar peças de qualidade é essencial. Isso é feito no momento da remontagem por meio da utilização de materiais de aço e a manta de kevlar. Eles promovem a resistência contra balas.

Todo esse processo é realizado pela funilaria. Além dos aços, é aplicada a manta de aramida, que promove mais camadas de proteção. Os vidros são compostos por materiais especiais em policarbonato, com milimetragem de 18 a 21 mm

A aramida utilizada pode ter até mais de 9 camadas para garantir a segurança total. O processo de corte do aço geralmente é feito de maneira computadorizada para atingir a perfeição das medidas de encaixe. Tudo isso para é feito para gerar uma blindagem de carros perfeita.

O que deve ser feito para uma proteção ideal?

Além dos materiais de qualidade mencionados, para garantir uma proteção ideal, o responsável pela funilaria deve ter o devido cuidado em todos os processos. É importante que o profissional tenha total conhecimento de como utilizar os equipamentos e aplicar os materiais para conseguir o resultado totalmente seguro e evitar pontos cegos que reduzem sem blindagem.

Isso é feito a partir da blindagem de todos os acessórios, como as maçanetas e os locais para fixar o cinto. Além desses pontos, os pneus também são protegidos, garantindo a cobertura total contra balas. Um modelo de pneu pronto de mercado direcionado a isso é o run-flat. Mas, se não houver esse modelo, o pneu pode ser trabalhado com cintas.

O teto também é protegido. Porém, é uma obrigatoriedade do Exército que seja totalmente fechado. Vale lembrar que no processo de funilaria deste serviço, é necessário manter as características originais do carro. 

Quais são os tipos de blindagem?

Os tipos de blindagem disponíveis para a segurança do carro são divididos em algumas classificações. Cada uma garante tem uma especificidade necessária para garantir a proteção total do veículo. Confira, a seguir, os tipos de blindagem de carros.

Tipo I 

O primeiro tipo de blindagem protege contra munições .22 e .38.

Tipos II e II-A

Esses tipos de blindagem oferecem segurança para pistola 9 milímetros. A proteção também é garantida para a .357, o revolver Magnum.

Tipo III e III-A

Esses tipos de blindagem garantem proteção contra fuzis, AK-47, FAL, AR-15.

Tipo IV

O modelo IV é proibido no Brasil e não pode ser utilizado por civis. Tem grande resistência, conseguindo proteger o veículo contra o uso de granadas. O modelo também protege contra .50, que são calibres utilizados na área militar de 12.7 mm.

Qual é a blindagem permitida no Brasil?

As blindagens feitas no Brasil são permitidas somente até o nível III-A. Mesmo assim, para conseguir blindar com as de nível III, é necessária a liberação do Exército. As blindagens mais difíceis de encontrar no mercado são as II e II-A.

No Brasil, a blindagem III-A é o tipo mais utilizado. Os interessados por carros blindados geralmente têm preferência por esse tipo de blindagem porque é um modelo versátil e que oferece ampla resistência a diferentes calibres. O tipo III-A também aguenta ataques de modelos de submetralhadoras. Todos esses detalhes explicam a sua popularidade.

Quais são as mudanças nas características do carro?

Alguns aspectos são mudados no carro após a blindagem. Primeiramente, o acréscimo de todos os materiais gera um aumento considerável de peso: de 150 a 250kg, podendo variar de acordo com o acréscimo de peso. Isso deixa o veículo mais robusto, mas também muito mais pesado.

Por isso, depois do carro ser entregue ao cliente, o condutor deve se adaptar ao novo tipo de dirigibilidade do veículo. Nesse processo, pode ser necessário fazer o acompanhamento por um manual ou cursos específicos para garantir que o condutor do veículo tenha conhecimento suficiente para o novo estilo de condução.

Como conservar o carro blindado?

O cuidado básico com o carro blindado é: evitar danos físicos ao carro. Caso haja algum acidente, é essencial levar o carro ao local onde a blindagem foi realizada para trocar a peça danificada.

Proteger o carro contra intempéries que podem causar danos é essencial, porque os descuidos podem gerar falhas no automóvel. O ideal é não deixar o carro muito tempo no sol para evitar processos como o choque térmico. Esse cuidado garante maior durabilidade.

Além disso, existe a necessidade de limpar os vidros com determinados cuidados. É importante não utilizar produtos químicos e tomar cuidado com os abrasivos.

Medidas comuns para a proteção de qualquer carro também devem ser consideradas após a blindagem, como evitar bater as portas. Mas, se algum componente for danificado, é importante orientar o cliente que a oficina de funilaria é o local ideal para reparos.

Quais são os documentos necessários?

Conforme mencionado, é necessário que o proprietário solicite uma liberação do Exército Brasileiro. Isso é primordial para a realização da blindagem de carros. O documento é válido por três anos.

Por parte do profissional na funilaria, é necessário ceder ao proprietário do veículo o Termo de Responsabilidade, atribuição da blindadora. Nesse documento, são informados todos os materiais aplicados no carro. Trata-se de um registro importante para identificar a resistência de cada material que compõe o veículo e seu nível de resistência. Também consta a validade da proteção contra balas.

Após isso, o proprietário precisa registrar no Departamento de Trânsito o novo estado do veículo. Antes, é imprescindível conseguir o certificado de blindagem fornecida pelo Exército e depois realizar a vistoria.

O proprietário do carro também pode solicitar um novo documento para o veículo em que conste o estado atual alterado com a informação de blindagem, que é o Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo.

O que o cliente deve verificar ao escolher a oficina de blindagem para funilaria?

O local ideal para realizar a blindagem será escolhido com cuidado, pois a oficina deve contar com funileiros com experiência. Para isso, é comum que o cliente faça visitas aos locais e verifique as autorizações do Exército para realizar esse serviço, assim como a aprovação da qualidade dos materiais.

O local também deve ter realizado testes de material, comprovando a sua durabilidade e eficácia contra o ataque balístico. 

A funilaria deve apresentar a garantia das peças para que os itens sejam trocados no momento certo. As peças devem estar devidamente embaladas e registradas. A funilaria também deve realizar etapas de inspeção após finalizar a blindagem. Assim, o funileiro pode verificar todos os itens.

Com a utilização de materiais corretos, o automóvel fica protegido de grandes ameaças. Logo, todos os acessórios balísticos que compõem o automóvel garantem a proteção a quem está dentro do veículo.

Quais partes do veículo podem ser blindados pela funilaria?

A funilaria não deve deixar nenhuma parte do carro sem proteção. Logo, o carro inteiro é blindado. Isso é feito com a aplicação de materiais específicos para blindagem em todas as suas partes, como com vidros especiais em várias camadas.

Toda a parte externa é revestida com aço balístico e manta de aramida, logo, cada material utilizado é primordial para a segurança total do veículo blindado. Também deve ser observado se não há pontos cegos: locais pequenos que não receberam a proteção.

Tudo isso é necessário para garantir a proteção total do veículo e um trabalho de alto nível de qualidade.

Quais materiais podem ser usados na funilaria para blindagem de carros?

Certos materiais de alta tecnologia podem ser utilizados para blindagem dos carros em toda sua composição. Visto que o carro é inteiramente protegido, saber os materiais que podem ser usados para o processo de blindagem é essencial.

Vidros

Os vidros blindados são extremamente resistentes. São compostos de material de policarbonato, garantindo a segurança por meio da alta tecnologia.

Isso evita estilhaços e quebras drásticas. Diferentemente dos vidros de outros carros, que tem a espessura de 0,6 mm, os blindados têm de 17 a 21mm.

Camadas do vidro

A proteção é promovida pela primeira camada externa do vidro, que protege contra o impacto da bala. Essa camada é desgastada quando atingida. A segunda camada tem o objetivo de segurar o impacto (essa é composta por plástico ou resina).

A última camada não é atingida pela bala, mas também pode quebrar com a ação das outras. O acabamento atrás do vidro conta com resina com película fina de plástico para evitar estilhaços. Assim, os vidros do carro blindado são feitos para proporcionar grande segurança ao veículo.

Aço balístico

O aço balístico na funilaria é imprescindível para a blindagem do carro. As partes que são protegidas por esse material são acessórios como as maçanetas. Com o tempo, esse material foi melhor aplicado, antigamente era colocado no carro inteiro.

Hoje, a manta de aramida cobre boa parte do veículo por ser muito mais leve, oferecendo grande segurança. Esse aço contém metais como níquel, molibdênio e enxofre. Ele foi criado para operações militares, e é um produto tradicional na blindagem.

Manta de aramida

A manta de aramida, como mencionamos no tópico anterior, é um produto leve para a blindagem, que pode promover várias camadas de proteção. É um insumo extremamente flexível e resistente. Pode ser aplicada em todas as partes do veículo. É o mesmo produto utilizado em coletes à prova de bala e em carros militares.

São fibras sintéticas utilizadas em diferentes equipamentos, como cascos marinhos, pneus, cordéis, entre outros. É uma opção tecnológica avançada para a blindagem.

Quais são os processos técnicos para fazer a blindagem?

Confira o passo a passo técnico para realização da blindagem na funilaria:

1 . Proteção contra riscos

A primeira parte do processo de blindagem é fazer a proteção das partes que podem arranhar com o desmonte total do carro, preservando a integridade do veículo.

2. Aplicação da proteção balística

Depois desse procedimento ele é totalmente desmontado para ser colocado o que se chama na funilaria de parte opaca, que é o material de aramida e o aço nas colunas e proteções de maçaneta, junto com todo o material de proteção balística já descrito anteriormente.

3. Troca de motores do vidro e engrenagens

É trocado o motor que promove a subida e descida do vidro, para que ele aguente o novo vidro com peso superior e mais camadas. Para caber no local previsto, é feita uma maior abertura no local onde será aplicado. O motor é totalmente conservado, para que continue original. O teto solar é fixo, não pode abrir. Todas as engrenagens são trocadas por mais resistentes, para aguentar o novo peso dos materiais.

4. Remontagem e testes

Depois de tudo isso o carro é remontado. No último passo é feito o teste de estanque, e de chuva e vento para que o carro saia da funilaria com 100% de garantia.

Quanto tempo demora para fazer a blindagem?

Tanto o funileiro quanto o cliente devem saber o tempo de duração para a blindagem. Embora não seja rápido, pois esse é um processo que exige muito cuidado e atenção, a blindagem pode durar cerca de 30 a 45 dias.

Esse é o tempo necessário para que seja feito de maneira segura, considerando todo o processo após a obtenção da aprovação do Exército Brasileiro até toda a remontagem.

Depois disso, o funileiro pode realizar os testes de qualidade final do produto e liberar o automóvel ao dono. Existem mais de 120 itens para serem verificados e testados, por isso, é necessário muita atenção. Em seguida, o veículo pode circular livremente pelas ruas. 

Quais veículos podem ser blindados?

Todos os veículos podem ser blindados desde que obtenham a aprovação do Exército Brasileiro, mas é importante verificar as características de cada um, como: robustez e capacidade de suportar o peso adicional de 150 a 250kg que serão incluídos à lataria e outros componentes do automóvel.

O carro a ser blindado deve ter estrutura para suportar um grande peso extra sem apresentar falhas, por exemplo, na performance. Logo, é importante que o cliente saiba de todas as características necessárias do carro e se existe a possibilidade de blindá-lo.

Qual é a validade?

A validade para a blindagem de carro geralmente é de 3 anos. Mesmo assim, é importante fazer revisões constantes. Por exemplo, após 60 dias da entrega, é importante fazer a primeira revisão para verificar se a blindagem está adequada.

Depois disso, o adequado é fazer a revisão a cada semestre. A cada revisão, o funileiro deve analisar com cuidado todos os itens da blindagem.

Qual é o passo a passo para realizar a blindagem?

Agora que sabemos todas as características e processos de funilaria e blindagem do carro, vamos falar sobre o passo a passo para tornar isso possível.

Esse processo é importante para que o funileiro possa conferir as documentações necessárias para solicitar ao cliente.

Isso garante que a blindagem seja feita da forma ideal para oferecer qualidade e segurança ao automóvel e que a oficina esteja dentro dos regulamentos legais para o serviço. O passo a passo para realizar o processo é o seguinte:

Passo 1: obtenção do registro no Exército Brasileiro

É necessário realizar a obtenção do documento registrado no Exército Brasileiro, liberando a aceitando a blindagem do veículo. Esse documento tem o prazo de 120 dias para ser aceito ou não, e ficar pronto após a solicitação.

Passo 2: autorização prévia do Detran

A autorização do Departamento de Trânsito é essencial, pois mudará a classificação do veículo para adequar-se à alteração. Isso é importante para diferenciá-lo de outros veículos comuns e é exigido por lei. Logo, deve ser feito o quanto antes.

Passo 3: empresa certificada para fazer a blindagem

Encontrar uma empresa de funilaria que tenha a autorização necessária para realizar a blindagem do carro é essencial. Esse é um processo que demanda cuidado e o manuseio de equipamento com assertividade para atingir o objetivo final de maneira eficiente.

Passo 4: certificado de blindagem

É importante pegar o certificado de blindagem fornecido pela empresa para demais comprovações. Essa certificação é primordial para ser apresentada quando necessário, em trocas de documentações e no acompanhamento das datas e garantias dos produtos. Também é importante na conferência da validade das peças.

Passo 5: laudo de Inspeção veicular e vistoria

O laudo de inspeção veicular também é um passo necessário para garantir a legitimidade do veículo, que será verificado após terminar o serviço. É importante levar todos os documentos, como a certificado de blindagem e o documento do Departamento de Trânsito onde foi alterada a classificação do veículo.

Como um funileiro pode cuidar de um dano na blindagem?

Um funileiro deve adotar medidas para garantir a blindagem de maneira eficiente. Deve ser providenciado um local adequado e os serviços devem ser voltados a isso, com equipamentos direcionados para a blindagem.

Todos os carros que possuem blindagem têm os produtos para balística, como a aramida e aço, que serão danificados quando existe algum acidente. 

O que o funileiro deve saber? 

A blindagem é cada vez mais procurada não somente na área militar, mas também na civil. É importante que um funileiro saiba de todos os detalhes e do que precisa para poder lidar com esse trabalho, pois não é um processo simples, demanda conhecimento elétrico além de mecânico e máquinas específicas ao realizar as funções.

Além disso, o veículo deve ter a capacidade de suportar o peso extra que será colocado nele. Isso é importante para que o seu desempenho continue adequado, mesmo com esse sobrepeso, mencionado anteriormente, que fica em torno de 150 a 250kg.

Orientação ao cliente

O funileiro deve orientar o cliente sobre os cuidados necessários com o veículo para não danificar a blindagem. Também deve ser passado a ele o tempo de retorno à vistoria, garantindo que o automóvel seja revisto no período correto para os reparos. Fornecer todos os documentos necessários do carro blindado é outra atitude importante.

Para manter a blindagem de maneira legalizada, é obrigatório ter a licença do Exército, certificando que a oficina está liberada à realização desse procedimento, além de ter o maquinário adequado ao trabalho, para um serviço eficiente de blindagem.

Atentar-se ao tempo das revisões

É um trabalho muito sério que deve ser revisado inicialmente após 60 dias da entre. Depois o período é aumentado para cada 90 dias. É importante manter-se sempre atualizado sobre as novas tecnologias de maquinário e materiais de blindagem, pois a tecnologia está em constante evolução. Renovar-se pode garantir a competitividade dentro do mercado.

Verificar irregularidades

O funileiro deve verificar todos os itens a fim de notar qualquer irregularidade. Por isso, deve ser analisado por especialista. A necessidade de trocas ou reparos será detectada por eles.

Ainda que não tenha sido totalmente afetado, pode ser necessária a troca para voltar à sua performance total. Lembre-se que é preciso ter o certificado de registro, ou CR, válido para executar essa função legalmente.

Isso garantirá que o processo de blindagem sejam realizado de maneira segura para todos os envolvidos.

É importante que o profissional tenha os equipamentos e conhecimentos necessários para realizar essa função, visto que os itens devem ser analisados de maneira minuciosa em todo o momento.

A revisão deve ser feita depois de 60 dias após a entrega. A constância de revisão é semestral. Nesse momento, é necessário verificar todos os itens, se há algum dano ou acidente, ou se existe algum ponto cego no carro que está diminuindo a proteção. É um trabalho minucioso que deve ser feito com atenção redobrada.

A blindagem de carro é uma decisão necessária para rodar em centros urbanos, onde a violência é grande e a frequência de assaltos é cada vez maior. Trata-se de um recurso de alta tecnologia que garante a proteção de toda estrutura do veículo.

Gostou das informações que encontrou até aqui? Aproveite para baixar o nosso guia completo de gestão para oficinas e saiba como alavancar seu negócio!

Comentários