Quem nunca pegou um serviço e, na hora de colocar a mão na massa, esbarrou em uma série de materiais inadequados para o trabalho, incluindo a indispensável folha de lixa de parede?

Quem não é profissional da área talvez não tenha o conhecimento necessário para levar em consideração as especificidades e características desse produto na hora da compra. 

Isso pode acontecer, por exemplo, quando a lista de compras é repassada ao contratante ou dono da obra, que, independentemente dos materiais comprados, vai esperar um resultado perfeito!

Por isso, é muito importante que você, profissional qualificado, saiba diferenciar os tipos de lixas e orientar melhor a lista de compra de materiais. Pensando nisso, preparamos este post detalhado sobre o assunto. Sem mais delongas, vamos direto ao ponto! Boa leitura e não se esqueça de tomar nota dos trechos mais importantes.

O que é a lixa de parede?

É um material de trabalho utilizado em diferentes segmentos do mercado.

Por meio dela, o profissional consegue remover imperfeições presentes na face trabalhada, o que facilita a adesão da tinta e contribui para um ótimo resultado.

Dessa forma, podemos dizer que a principal função da lixa de parede é “arranhar” o local que receberá a tinta. Por isso, há lixas para diferentes tipos de materiais e com vários níveis de granulação mais adiante, falaremos mais sobre esses detalhes.

No caso da alvenaria, por exemplo, a ação dessa lixa auxilia na remoção de eventuais ondulações que existam no local em que a massa foi aplicada.

Assim, o seu uso permite eliminar as bolhas e todas as imperfeições, tornando o local livre de qualquer irregularidade que possa afetar a qualidade da pintura.

Para que serve a lixa de parede?

Independentemente de envolver rebocos e reformas, ou uma parede nova, é indispensável que o profissional trabalhe em superfícies niveladas. A lixa tem justamente essa função.

De maneira geral, o seu uso está associado à uniformização de superfícies, auxiliando a corrigir, nivelar e polir uma parede a fim de prepará-la para a etapa de pintura.

Nesse sentido, após aplicar a massa corrida e aguardar o tempo de secagem, é fundamental que a parede seja lixada. Isso porque, embora não sejam evidentes inicialmente, as imperfeições tendem a ficar bastante aparentes após a pintura.

Inclusive, vale destacar que até mesmo nas paredes em que há um acabamento mais rústico, como o cimento queimado, grafiato ou marmorato, pode ser necessário realizar o processo de lixamento.

Portanto, contar com uma parede que foi adequadamente preparada e passou pelo processo de lixamento contribui para:

  • melhorar a aderência da tinta na face a ser trabalhada;
  • reduzir o risco de descascamentos e surgimento de bolhas;
  • oferecer uma pintura e acabamento de melhor qualidade;
  • garantir a durabilidade do serviço.

Quais são os principais tipos de lixa para parede e quando usá-los?

Nas lojas de materiais de construção, é comum haver uma seção para diferentes tipos de lixa — de parede, de ferro, de madeira etc. Não é à toa que existe essa classificação: além de serem indicados para superfícies distintas, esses produtos fazem parte de “subcategorias”, de acordo com suas espessuras, granulometria, entre outros pontos.

No entanto, o que há de mais comum na hora de comprar uma lixa é tentar escolher no olho ou no tato. Não que isso seja impossível, mas por que não trabalhar com técnica, utilizando os benefícios do produto mais adequado? Isso vai fazer a diferença para que os resultados finais sejam muito superiores!

Nesse sentido, apresentamos a seguir as características e indicações dos principais tipos de lixa de parede e quando cada um deve ser aplicado na prática. Anote aí!

Lixa d’água

O nome já deixa uma boa dica sobre o uso dessa lixa. Afinal, as chamadas lixas d’água são recomendadas para lixamentos e acabamentos em superfícies úmidas ou que receberão pequenas quantidades de água.

O uso dessa lixa é bastante comum em faces metálicas finas e na funilaria. Em relação à construção civil, muitos pintores indicam a sua utilização para finalização em paredes que receberam massa acrílica, por exemplo.

Por ser mais dura, essa massa necessita de pequenas quantidades de água para aplicação e acabamento. Isso facilita a “modelagem” do material e garante aquela qualidade superior, após o uso da lixa. Em geral, a granulometria de uma lixa d’água varia entre 60 e 600.

Lixa de massa

Normalmente, essa lixa tem uma superfície vermelha. Isso já ajuda em sua identificação nas lojas ou nos sites de materiais de construção.

A utilização dessa ferramenta é ampla. Embora seja mais habitual em acabamentos de paredes comuns recém-emassadas, também pode ser aplicada em gessos ou até na remoção de tinta.

Há espessuras mais finas e também brutas, de acordo com a necessidade do serviço. Em geral, a lixa de massa varia entre 36 e 220 no que se refere à granulometria.

Lixa de ferro

Quase sempre de cor cinza ou preta, as lixas de ferro servem para faces metálicas e, logo, são aplicadas em trabalhos pesados.

A escolha certa desse tipo de lixa é essencial, já que dar um acabamento ou até mesmo nivelar essa variedade de material requer um trabalho quase que matemático. Uma aplicação em excesso, por exemplo, pode comprometer o resultado e se tornar irreversível.

Dependendo da superfície de aplicação, a lixa de ferro pode ser trabalhada junto a lixadeiras ou a outros equipamentos profissionais. Em geral, a granulometria padrão de uma lixa de ferro varia entre 36 e 320.

Lixa de madeira

Assim como a de massa, a lixa de madeira pode tanto ter aplicações brutas, quando o objetivo é nivelar ou remover camadas maiores, como finas, ao dar acabamentos e tornar as superfícies mais lisas.

É usada sempre a seco e antes da aplicação de verniz ou tinta. A granulometria padrão para uma lixa de madeira fica em torno de 50 a 220.

Lixa No-Fil

Menos conhecidas entre as principais variedades de lixas, as chamadas lixas No-Fil são bem delicadas. Sua aplicação é indicada para trabalhos finos, como superfícies envernizadas ou seladas.

Esse modelo permite finalizar um acabamento sem marcas e sem agredir o produto aplicado. A granulometria da lixa champagne aparece principalmente nestas variações:

  • 80 a 400;
  • 80 a 1200.

E para que serve a granulometria dos diferentes tipos de lixa?

A granulometria de uma lixa define a espessura dela e também orienta sobre as variedades indicadas para cada tipo de aplicação. É sempre bom lembrar desta regra: quanto menor a granulometria, mais fino o serviço!

Só que também é necessário ter em mente que existem muitas granulometrias dentro de cada categoria de lixa. Isso quer dizer que, se você busca qualidade no trabalho e espera entregar resultados que deixem o cliente com brilho nos olhos, leve em consideração a espessura exata — então, nada de escolher a lixa só no olho!

Além disso, evite dar grandes saltos entre um grão e outro, para evitar riscos e garantir uma superfície lisa. Aqui vai o segredo do acabamento perfeito: comece com uma granulometria mais grossa — dependendo do estado do local a ser trabalhado — e, gradualmente, aumente a numeração do grão de acordo com a necessidade.

E como fazer isso do jeito certo? Bem, o que você precisa de fato é estudar sobre o assunto e pesquisar as diferentes opções do mercado. Esse é um preparo que faz toda a diferença e que se mostra como o diferencial para oferecer serviços de alto padrão. 

Quando é necessário usar a lixa de parede?

Essa ferramenta deve ser utilizada nas etapas de finalização de um projeto que envolve construção e reforma. Assim, sempre que a parede for pintada — especialmente se ela estiver apenas rebocada — é necessário preparar a área por meio do lixamento. Depois da aplicação da lixa adequada, e da uniformização do local, você pode começar a executar a pintura.

E aqui é importante destacar que há uma série de cuidados a serem considerados. O profissional deve levar em conta as características e particularidades da superfície, bem como, da tinta que será utilizada.

Por exemplo, no caso de aplicação de tintas com base acetinada, acrílica ou semibrilho, é recomendado o uso de lixa com gramatura mais fina, garantindo maior uniformidade e qualidade no acabamento.

Já para a para a pintura de paredes e tetos em áreas internas, a recomendação de muitos profissionais é aplicação de tintas látex ou PVA. Essa indicação está associada à baixa necessidade de manutenção, visto que, por se tratar de uma tinta à base de água, o local pode ser limpo com um pano úmido. Em termos de funcionalidade, a secagem é rápida e o odor exalado é baixo.

Quais são os benefícios em utilizar a lixa de parede?

Utilizando o material adequado, o profissional experimenta uma série benefícios ao realizar o lixamento. A seguir, explicamos melhor cada um deles.

Aplicação mais uniforme

Se a face a ser trabalhada estiver com porosidade adequada, a aplicação da tinta será mais uniforme, o que vai fazer com que o produto renda mais, além de evitar o descasque.

Paredes desniveladas podem representar um custo maior de tinta, e ainda trazer um resultado insatisfatório. Com a incidência de luz, por exemplo, o acabamento fica aparente e é fácil perceber a baixa qualidade do trabalho executado.

Melhor aderência da tinta

A aderência da tinta na parede pode ser um ponto chave na vida útil da pintura. Se você busca melhores resultados e maior durabilidade precisa garantir que a face a ser pintada tenha a aderência adequada.

Nesse contexto, lixar cuidadosamente é fundamental. Especialmente nos casos em que a pintura está sendo refeita.

Em casos de paredes com pinturas antigas, por exemplo, os poros existentes acabam sendo preenchidos pela tinta, o que pode dificultar a aderência da nova aplicação.

Por isso a indicação é dedicar tempo e atenção para remover as camadas da tinta antiga, descascando as partes soltas, eliminando camadas antigas e começando o processo de pintura em uma superfície adequada.

Melhora na qualidade geral dos serviços de pintura

Ao optar por não lixar uma parede antes da pintura, ou simplesmente negligenciar o processo, realizando um trabalho descuidado, você estará comprometendo a qualidade dos serviços.

Nessa etapa de trabalho, o profissional tem a oportunidade de remover pedaços de massa, grãos e fios. Mesmo que sejam minúsculos, eles se destacam na pintura, especialmente quando utilizadas cores claras.

Entregar um trabalho com baixa qualidade de acabamento pode comprometer a imagem do profissional e comprometer possíveis recomendações que esse cliente daria.

Evita retrabalhos

Já pensou se o seu cliente aponta imperfeições ou falhas na pintura depois da entrega final do serviço? Isso pode representar um prejuízo gigantesco não apenas de tempo, mas de dinheiro, visto que o retrabalho demanda dedicação adicional.

Se o cliente não aceitar o serviço com a qualidade abaixo do contratado poderá ser necessário lixar tudo novamente para depois realizar a pintura.

Perceba que tudo isso pode ser evitado quando o profissional dedica tempo, cuidado e atenção ao uso da lixa de parede no momento necessário.

A qualidade e o acabamento da pintura estão diretamente atrelados ao uso da lixa. Portanto, não negligencie a sua utilização, conheça boas práticas e manuseio da ferramenta e descubra como escolher o produto adequado para as suas necessidades.

O que fazer antes de começar a lixar a parede?

Existem três cuidados que precisam ser tomados antes de iniciar essa atividade. O primeiro deles é a higienização da área.

Você pode limpar o local que será trabalhado usando uma vassoura ou um pano úmido. Depois da limpeza, vai ficar mais fácil identificar eventuais trincas, rachaduras, buracos, bolhas e desníveis.

O segundo passo é a atenção à existência de infiltrações. Verifique se há alguma umidade na parede decorrente de possível infiltração. Esse tipo de problema não pode ser negligenciado, pois vai afetar diretamente a qualidade e durabilidade do seu serviço.

Uma parede com infiltração tende a estufar e soltar a pintura, gerando a necessidade de retrabalhos.

Nesse caso, é necessário informar o cliente sobre a situação para que ele tome as medidas necessárias. Você também poderá indicar um parceiro ou colega que realize esse tipo de trabalho, facilitando o processo.

Por fim, o terceiro ponto de atenção é conferir se há buracos na parede. De uma forma geral, ele são facilmente identificáveis, porém, em alguns casos não são tão aparentes. A dica é avaliar com atenção e, caso existam buracos, preenchê-los com massa ou gesso.

Para garantir um bom resultado, não esqueça de remover sujidades e poeiras de dentro do buraco antes de colocar a massa, visto que isso ajuda a garantir melhor aderência.

Com manusear a lixa para parede?

Para quem busca dicas sobre como lixar a parede, vale a pena destacar que existem duas possibilidades: lixamento manual e por meio de máquinas de lixamento. Veja como funciona cada um deles.

Lixamento manual

Aqui a ferramenta de trabalho precisa estar em contato direto com a parede. O processo deve ser feito de forma circular, aplicando a mesma força em toda a superfície da lixa.

Uma sugestão, para casos de remoção de texturas de paredes, é iniciar o trabalho com uma espátula, que pode ser colocada nas partes ocas e nos locais com bolhas. Assim, utilizar a lixa após remover o máximo de material com a espátula proporcionará um resultado muito melhor.

Lixamento com máquinas

As lixadeiras de parede, também conhecidas como máquinas de lixamento, são amplamente utilizadas em grandes obras. Indicadas para preparar superfícies amplas, elas oferecem um resultado eficaz e podem reduzir o tempo de trabalho.

Porém, vale destacar que a atenção quanto ao acabamento também deve ser um ponto chave durante esse tipo de lixamento, e para o qual é necessário estar ainda mais atento — já que o processo manual tende a facilitar acabamentos mais delicados. Observe com atenção o resultado obtido e verifique se é necessário repetir a etapa antes de seguir para a próxima fase.

Como evitar erros ao usar a lixa de parede?

Os dois principais erros no uso desse material estão relacionados ao esforço excessivo e ao uso de produtos de baixa qualidade.

Quando você opta por um material mais barato corre o risco de ter dificuldade na execução do lixamento. Com isso, é necessário aplicar mais força durante a atividade, o que pode causar prejuízos à sua saúde.

Por isso, ao escolher uma lixa de parede, opte por modelos que combinem durabilidade, qualidade e bom custo-benefício.

As lixas da Norton, por exemplo, destacam-se por minimizar a necessidade de esforço físico do profissional. Fabricadas com uma tecnologia de microfuros, elas entregam o melhor resultado de lixamento, contribuindo para a redução de poeira no local. Assim, o resultado é um ambiente mais limpo e adequado para a atuação profissional.

As lixas comuns, desprovidas dessa tecnologia, acabam produzindo mais sujeira, o que demanda mais tempo e trabalho para manter o local limpo.

O uso de materiais de qualidade na preparação e na pintura da parede promove resultados positivos tanto para o profissional quanto para o cliente. No caso específico das tintas, podemos dizer que as opções de qualidade superior têm maior aderência e cobertura, garantindo a durabilidade do seu serviço.

Somado a isso, fitas adesivas, bandejas de pinturas, rolos de lã são acessórios que auxiliam e facilitam as suas atividades. Investir nestes itens vai facilitar muito todo o seu trabalho.

Por fim, bons profissionais estão atentos ao cuidado com o seu bem-estar físico e segurança. Nesse sentido, não abra mão do uso de equipamento de proteção individual. Além de se proteger, você sinaliza ao seu cliente que se preocupa com o profissionalismo.

Com encontrar as melhores lixas de parede?

Na Norton você encontra lixas de parede e outras soluções que vão garantir os melhores resultados na prestação de serviços de pintura.

Todos os produtos desenvolvidos são pensando com foco na qualidade, por isso, os materiais são produzidos com grão de óxido de alumínio marrom, que são mais resistentes e poupam esforço físico durante o trabalho.

Com mais de 150 anos de existência, a Norton é marca líder no mercado brasileiro de abrasivos. Reconhecida mundialmente, a empresa oferece uma linha de produtos completa que atende diferentes tipos de trabalho e os mais elevados níveis de exigência.

Líder em tecnologia, a Norton se estabelece como uma empresa de vanguarda oferecendo sempre as soluções mais adequadas às demandas dos usuários. A cada ano são feitos substanciais investimentos em pesquisa e desenvolvimento que ajudam a gerar ideias inovadoras visando revolucionar os processos de abrasivos. Esse forte compromisso com a inovação garante que seus produtos sejam introduzidos no mercado sempre oferecendo benefícios e melhorias a todos os clientes.

Como você viu, a lixa de parede é um produto indispensável para o seu trabalho e utilizar o tipo ideal faz toda a diferença para entregar um trabalho de excelência. Esperamos que este conteúdo tenha auxiliado com um pouco mais de conhecimento técnico e que compras erradas e materiais inadequados se tornem coisa do passado no seu dia a dia. Ah, e, claro, que você garanta sempre o atendimento mais satisfatório e completo possível a cada cliente.

Gostou do que viu por aqui? Quer saber mais sobre lixa de parede e outros produtos da Norton? Nós preparamos o e-book Guia completo das lixas Norton para pinturas! É só baixar e você terá esse super material para consulta sempre que bater qualquer dúvida! Aproveite!

CTA_Guia-completo-das-lixas_final

Show Full Content

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back
Close

NEXT STORY

Close
Sem categoria

Desperdício na construção civil: causas e impactos

outubro 20, 2022
Close