Construção
15 de Outubro de 2020

Tipos de lixa: quando usar cada uma? Nós explicamos!

Não dá para escolher entre os tipos de lixa só no olho, não! Para trabalhos mais técnicos e profissionais, é preciso levar em consideração as principais características desse produto. Leia o post e entenda!

Tempo de leitura:

Quem nunca pegou um serviço e, na hora de colocar a mão na massa, se deparou com uma série de materiais inadequados, incluindo a indispensável folha de lixa?

Quem não é profissional da área, como pedreiro ou pintor, muitas vezes não tem o conhecimento necessário para levar em consideração as especificidades e características desse produto na hora da compra. 

Isso pode acontecer, por exemplo, quando a lista de compras é repassada ao contratante ou dono da obra, que, independente dos materiais comprados, vai esperar um resultado perfeito! Por isso, é super importante que você, profissional qualificado, saiba diferenciar os tipos de lixas e orientar melhor a lista de compra de materiais. Para isso, nós preparamos este post detalhado sobre o assunto.

Sem mais delongas, vamos direto ao ponto! Boa leitura e não se esqueça de tomar nota.

Quais são os principais tipos de lixa e quando usá-los?

Qualquer loja de materiais de construção certamente vai ter uma seção para diferentes lixas entre elas as de parede, de ferro, de madeira etc. Não é à toa que existe essa classificação: cada um desses produtos não só serve para diferentes superfícies, mas também faz parte de “subcategorias”, de acordo com suas espessuras, granulometria, entre outros pontos.

No entanto, o que há de mais comum na hora de comprar uma lixa é a pessoa tentar escolher no olho ou no tato. Não que isso não seja possível, mas por que não trabalhar com técnica, utilizando o produto adequado? Isso vai fazer a diferença para que os resultados finais sejam muito superiores!

Por isso, a seguir, veja as dicas sobre os principais tipos de lixa e saiba definitivamente quando cada um deve ser aplicado na prática. Anote aí!

Lixa d'água

O nome já deixa uma boa dica sobre o uso dessa lixa. Afinal, as chamadas lixas d'água são indicadas para lixamentos e acabamentos em superfícies úmidas ou que receberão pequenas quantidades de água.

Essa lixa é bastante usada em superfícies metálicas finas e na funilaria. Em relação à construção civil, muitos pintores indicam a sua utilização para finalização em paredes que receberam massa acrílica, por exemplo.

Por ser mais dura, essa massa necessita de pequenas quantidades de água para aplicação e acabamento. Isso facilita a “modelagem” do material e garante aquela qualidade superior, após o uso da lixa.

Em geral, a granulometria de uma lixa d'água varia entre 60 e 600.

Lixa de massa

Normalmente, essa lixa tem uma superfície vermelha. Isso já ajuda em sua identificação nas lojas ou nos sites de materiais de construção.

Sua utilização é ampla, quase sempre servindo para acabamentos em paredes comuns e que acabaram de ser emassadas, mas pode ser aplicada em gessos ou até na remoção de tinta. Há espessuras mais finas e também brutas, de acordo com a necessidade do serviço.

Em geral, a lixa de massa varia entre 36 e 220 no que se refere à granulometria.

Lixa de ferro

Quase sempre de cor cinza ou preta, as lixas de ferro servem para superfícies metálicas e, logo, são aplicadas em trabalhos pesados.

A escolha certa desse tipo de lixa é essencial, já que dar um acabamento ou até mesmo nivelar essa variedade de material requer um trabalho quase que matemático. Uma aplicação em excesso, por exemplo, pode comprometer o resultado e se tornar irreversível.

Dependendo da superfície de aplicação, a lixa de ferro pode ser trabalhada junto a lixadeiras ou a outros equipamentos profissionais.

Em geral, a granulometria padrão de uma lixa de ferro varia entre 36 e 320.

Lixa de madeira

Assim como a de massa, a lixa de madeira pode tanto ter aplicações brutas, quando o objetivo é nivelar ou remover camadas maiores, como finas, ao dar acabamentos e tornar as superfícies mais lisas.

É usada sempre a seco e antes da aplicação de verniz ou tinta.

A granulometria padrão para uma lixa de madeira varia entre 50 e 220.

Lixa champagne (ou No-Fil)

Menos conhecidas entre as principais variedades de lixas, as chamadas lixas No-Fil são bem delicadas. Sua aplicação é indicada para trabalhos finos, como superfícies envernizadas ou seladas.

Essa lixa permite finalizar um acabamento sem marcas e sem agredir o produto aplicado. A granulometria é da lixa champagne aparece principalmente nestas variações:

  • 80 a 400
  • 80 a 1200

E para que serve a granulometria dos diferentes tipos de lixa?

A granulometria de uma lixa define a espessura dela e também orienta sobre as variedades indicadas para cada tipo de aplicação. É sempre bom lembrar desta regra: quanto menor a granulometria, mais fino o serviço!

Só que também é necessário ter em mente que existem muitas granulotmetrias dentro de cada categoria de lixa. Isso quer dizer que, se você busca qualidade do trabalho e espera entregar resultados que deixem o cliente com brilho nos olhos, leve em consideração a espessura exata — então, nada de escolher a lixa só no olho!

Além disso, evite dar grandes saltos entre um grão e outro, para evitar riscos e garantir uma superfície lisa. Aqui vai o segredo do acabamento perfeito: comece com uma granulometria mais grossa — dependendo do estado da superfície — e, gradualmente, aumente a numeração do grão de acordo com a necessidade.

E como fazer isso do jeito certo? Bem, o que você precisa de fato é estudar sobre o assunto e pesquisar as diferentes opções do mercado. Esse é um preparo que faz toda a diferença e que se mostra como o diferencial para oferecer serviços de alto padrão. 

É um trabalho que passa, principalmente, por contar com fornecedores que dão conta do recado, como no caso do time da Norton, que sempre traz ótimas dicas. Neste post, por exemplo, mostramos como você pode tomar uma decisão certeira — e técnica! — na hora de definir as variedades de lixas. 

A gente espera que o conteúdo tenha te ajudado com mais um pouquinho de conhecimento técnico e que compras erradas e materiais inadequados se tornem coisa do passado no seu trabalho. Ah, claro, e que você garanta sempre o atendimento mais satisfatório e completo possível a cada cliente.

Gostou do que viu por aqui? Quer mais? Nós preparamos o e-book Guia completo das lixas Norton para pinturas! É só baixar e você terá esse super material para consulta sempre que bater a dúvida!

CTA_Guia-completo-das-lixas_final

Comentários