Automotivo
13 de Setembro de 2022

Higienização automotiva: tudo o que você precisa saber

Veja um guia sobre higienização automotiva: principais conceitos, melhores dicas, informações e boas práticas que envolvem esse serviço!

Tempo de leitura:

Todas as pessoas que lidam com carros sabem que é importante cuidar de sua limpeza. É um dos requisitos de manutenção. Geralmente, os carros são lavados em casa, ainda que muitas pessoas gostem de ir ao lava-jato.

Entretanto, neste post, vamos falar de um processo diferenciado. Trata-se da higienização automotiva.

Leia todo o post e veja como essa prática pode ajudar você a aumentar a satisfação do cliente e conferir mais competitividade para o desenvolvimento de uma oficina de sucesso!

O que é higienização automotiva?

Higienização automotiva é um processo que realiza a limpeza cuidadosa de todos os componentes internos do automóvel (ar-condicionado, volante, bancos e assim por diante).

Não é a mesma coisa que lavagem doméstica nem feita em lava-jato. Para alcançar os efeitos desejados, é preciso que o trabalho seja realizado por um profissional capacitado.

Para que serve a higienização automotiva?

A finalidade é recuperar a parte interior, removendo sujeira e manchas. É um processo fundamental para melhorar aspectos estéticos e higiênicos.

Ele contribui para a conservação da saúde dos usuários porque impede que microrganismos nocivos se proliferem, causando doenças e transtornos de saúde, como alergia.

A higienização automotiva contribui também para que o carro seja mantido em bom estado de conservação. A finalidade é fazer com que o veículo fique o mais próximo possível de seu estado original.

Além disso, é uma ótima opção para a época atual, em que a pandemia da Covid-19 exige o máximo cuidado com a higiene para evitar contaminação pelo vírus.

Como funciona o processo de higienização automotiva?

A higienização automotiva é um processo detalhado de limpeza. O lava rápido, como o nome já diz, faz uma limpeza geral, mais ágil, sem se deter em pormenores. Já a limpeza caseira pode ser bastante cuidadosa, mas isso nem sempre acontece — depende muito do proprietário.

A questão é que as pessoas nem sempre estão preparadas para fazer uma limpeza profunda do veículo. Podem não conhecer muito bem detalhes do carro e, em um processo de higienização mais intenso, causar até algum dano, como quebrar alguma peça, estragar o estofamento, deixar os vidros embaçados.

Levar um carro para higienização veicular em uma empresa é contar com um serviço especializado.

O profissional efetua uma limpeza que vai além de passar uma simples flanela e de uma lavagem externa. Todos os componentes internos são contemplados pela limpeza.

Além disso, o procedimento é cuidadoso para não deixar riscos, arranhões e embaçamentos. São seguidas algumas etapas para garantir um trabalho bem-feito e seguro.

O profissional presta atendimento personalizado, conforme o modelo do carro. Com a diversidade de modelos, cada carro tem suas próprias características. Então, embora a técnica seja a mesma, a forma de aplicá-la muda.

Os produtos utilizados na higienização automotiva são específicos para a finalidade a que se destinam:

  • aspirador de pó: um dos mais importantes materiais de limpeza porque permite a rápida remoção da sujeira e atinge pontos que, sem ele, ficaria mais difícil alcançar;
  • flanela: tecidos duros podem arranhar o veículo; por isso, a higienização veicular faz uso de panos de microfibra ou de algodão;
  • limpador de interiores: produto que ajuda a deixar o carro com aquele cheirinho especial;
  • renovador de plástico: renova o aspecto das peças feitas de plástico, que perdem o brilho com o passar do tempo; é um produto usado externamente e em borrachas;
  • limpador de carpetes e de estofado: remove manchas do estofado, dos tapetes e dos carpetes (muitos podem ser usados em bancos de couro e de tecido).

Quais são os cuidados de higienização durante a pandemia?

Considerando a época atual, com a pandemia da Covid-19, a higienização automotiva se preocupa com algumas medidas especiais.

O vírus pode sobreviver até três dias sobre superfícies plásticas. E esse material, o plástico, forma diferentes partes do veículo, como maçanetas, estrutura do painel e outras.

O motorista é a pessoa que mais pega no carro e, consequentemente, ele é o mais vulnerável à contaminação do vírus. Nesse sentido, os itens mais importantes que devem ser higienizados são:

  • volante;
  • freio de mão;
  • retrovisor;
  • palancas de seta;
  • cinto de segurança, fivelas;
  • câmbio;
  • maçanetas;
  • bancos;
  • rádio.
  • pega-mão;
  • puxador do porta-luvas;
  • manivela do vidro ou botões (vidros elétricos).

O proprietário pode utilizar regularmente esse produto para diminuir os riscos de infecção, mesmo depois que a higienização automotiva for completada.

Quais são as vantagens dessa higienização para o cliente?

Há muitas vantagens para o cliente pela higienização automotiva. O profissional pode falar sobre elas, pois é comum que nem todos saibam realmente sua importância.

Proteção da saúde

A higienização de ar-condicionado automotivo é uma das principais vantagens da higienização automotiva. Na verdade, é seu filtro de pólen que recebe uma boa limpeza.

O filtro bem higienizado impede que bactérias, fungos, ácaros e outros microrganismos alcancem os dutos de ar-condicionado e cheguem aos usuários do carro.

Os microrganismos ainda podem ficar nos carpetes, nos assentos e em outros locais. Mas uma boa limpeza consegue eliminar esses agentes de doenças.

Economia

Economia também é uma grande vantagem do processo cuidadoso de higienização do carro. Por exemplo, em relação à higienização de ar-condicionado automotivo, considere que, quando seu filtro está sujo, o aparelho consome mais energia. Assim, o motor é mais pressionado e consome mais combustível para suprir a demanda.

Depois da limpeza, o funcionamento do aparelho fica mais light. O desempenho do carro também melhora.

A prática de higienização veicular é um cuidado que deve ser feito regularmente para manter a integridade do carro. Desse modo, o cliente evita procedimentos que custam mais caro e são mais complexos.

Além disso, a lavagem em casa é bastante cansativa e demanda tempo. O cliente, se quiser deixar o carro realmente limpo, precisará de energia para esfregar, retirar a sujeira e enxaguar. Mas, em uma oficina especializada, o trabalho é feito por profissionais e há economia de tempo e água.

Lembre-se de que o barato pode sair caro. É o que acontece quando queremos economizar demais. Não são todas as pessoas que têm paciência e tempo para lavar o carro — e nem todos sabem fazer uma boa limpeza.

Qualidade dos bancos preservada

O derramamento de líquidos ou a sujeira acumulada nos bancos do carro faz com que o tecido fique manchado.

A correta higienização retira a sujeira. Assim, a estética é devolvida ao veículo, que retoma a aparência de novo.

No caso de bancos de couro, é comum que apareçam, com o passar do tempo, trinques e rachaduras por causa do ressecamento do material.

Mas a higienização veicular garante a hidratação do material para que ele não fique ressecado, aumentando sua vida útil.

Valorização do auto

Principalmente depois da pandemia, a demanda por carros seminovos aumentou. Isso ocorreu porque a matéria-prima ficou escassa. Então sempre existe a possibilidade de vender um seminovo por bom preço. Restaurar carros antigos também é uma atividade em alta, que deve ser considerada.

Enfim, para garantir que o carro esteja sempre valorizado no mercado, é importante cuidar bem dele. A higienização é uma forma de conseguir isso. Sem falar que ela também ajuda a restaurar interiores que não estejam em boas condições, garantindo outro visual e aumentando a vida útil dos automóveis.

Preservação de pontos inacessíveis

Os profissionais que fazem a higienização retiram as peças móveis que se encontram dentro do carro para assegurar mais espaço para trabalhar e para atingir pontos que, antes, eram inacessíveis.

Removendo os bancos, por exemplo, fica mais fácil fazer a limpeza do revestimento do teto e do piso com o aspirador de pó e uma escova umedecida com um produto específico para essa atividade.

Esses cuidados garantem um acabamento melhor e permite que áreas mais isoladas sejam alcançadas com relativa facilidade. O resultado final é, desse modo, o melhor possível.

Procedimentos complementares

Além da higienização interna, os profissionais especializados realizam outros serviços como polimento automotivo e enceramento (que promovem o brilho do carro), descontaminação das rodas e lavagem externa. Caso sejam necessários reparos automotivos, a oficina já pode realizá-los também.

Produtos específicos

Um dos principais problemas na higienização comum é o uso de produtos tóxicos, que estão disponíveis no mercado. Esses produtos acabam causando mal à saúde das pessoas.

A higienização automotiva, por sua vez, prioriza o uso de produtos de degradação natural, que não prejudicam a saúde e, ao mesmo tempo, garantem eficiência. Os produtos antibactericidas eliminam os microrganismos que existem nos carpetes e no estofo.

Esse processo também se vale de hidratantes de boa qualidade, que garantem uma boa aparência e textura, aumentam a vida útil e protegem os bancos e outros componentes do veículo.

Como fazer uma boa higienização automotiva? Dicas práticas

Veja agora como fazer uma boa higienização veicular.

Passos iniciais

Alguns passos iniciais são importantes. Embora pareçam muito óbvios, é importante listá-los:

  • tire o carro do sol para não ter que trabalhar em um carro quente (além disso, limpeza com lataria quente pode causar danos à pintura);
  • separe produtos de qualidade, conforme aprovados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), evitando detergente e sabão comuns (o sabão de coco é recomendado), que podem manchar a lataria e tirar o brilho do carro e das forrações;
  • reúna todos os itens de limpeza necessários, como aspirador, flanelas, escovas, mangueira, baldes (selecione esponjas adequadas e panos apropriados para não riscar a lataria);
  • organize uma caixa com os produtos que serão usados para facilitar o acesso a eles (retire e coloque no mesmo lugar cada item a fim de deixar o trabalho mais ágil e eficiente);
  • tire pulseiras e anéis antes de começar a higienização automotiva, pois esses acessórios podem causar danos à pintura e aos tecidos do carro — e podem provocar ferimentos em você;
  • remova os tapetes, pois eles devem ser lavados fora do carro.

Limpeza externa

É importante molhar o automóvel, utilizando os produtos certos para a limpeza e a manutenção de eventuais marcas na lataria e na pintura. Depois, é preciso enxaguar.

Remoção do lixo

Outro passo importante na higienização é aspirar o teto, o piso e os bancos do carro. Uma dica de ouro é começar a aspiração pelo teto para que, depois, a sujeira dele não caia sobre o que já foi limpo.

A aspiração é um processo que deve ser bem efetuado, tanto nos assentos como em todos os outros locais. Você deve trabalhar para alcançar todos os pontos e as frestas, mesmo os mais difíceis (botões, encaixes, quinas, relevos, juntas, grade do ar-condicionado). Para ajudar, uma dica é usar pincéis.

Vale a pena usar ainda uma escova de cerdas macias nos assentos e nas forrações. Juntamente do aspirador, a escova aumenta a eficiência.

Fique atento às manchas que podem existir em diferentes partes do automóvel. Há, no mercado, sprays destinados para a remoção delas. Assim, você evita causar danos usando receitas caseiras e outros produtos inadequados.

Limpeza dos bancos e da parte interna em geral

É preciso aspirar e higienizar o tecido dos bancos com os produtos corretos. No tecido, é comum existir ácaros que se multiplicam com a umidade e o calor. O uso de produtos certos ajuda a eliminar esses microrganismos. Existem, por exemplo, os limpadores multiuso, que são representados pela sigla APC.

Quanto aos bancos de couro, eles precisam de produtos hidratantes que evitem o ressecamento do material. Se a lavagem dos assentos de couro for feita com sabão de coco, não é preciso hidratar, pois esse tipo de sabão já é hidratante.

Os componentes internos devem ser removidos e lavados. Só deverão ser recolocados no final do processo, quando estiverem bem secos. No porta-malas, os mesmos procedimentos da cabine devem ser aplicados.

Evite utilizar água na limpeza da parte interna, pois vai demorar mais tempo para secar e pode deixar um odor indesejável e facilitar o surgimento de mofo.

Limpeza dos espelhos e outros vidros

Os vidros, quando embaçados, prejudicam a visão do motorista, facilitando assim a ocorrência de acidentes.

A limpeza dos vidros é parte da limpeza externa e da limpeza interna, já que existem vidros de duas faces. Por exemplo, os retrovisores são espelhos externos, mas o vidro dianteiro, o vidro traseiro e os das janelas alcançam tanto a parte de fora quanto a parte de dentro.

Quanto à limpeza interna desses vidros, é necessário aplicar um pano macio para remoção da poeira e da oleosidade excessiva. Depois, você deve usar um limpa-vidros conforme as orientações do fabricante. Caso seja preciso, utilize o produto também na parte externa.

Limpe cada vidro por vez para garantir maior eficiência. Na higienização interna, os melhores produtos são os que evitam embaçamento nos dias chuvosos ou enquanto o ar-condicionado estiver ligado.

Limpeza dos painéis e dos itens de plástico

Os painéis, por ficarem à exposição do sol e serem muito vulneráveis ao acúmulo de sujeira, exigem uma atenção especial.

Também são muito visíveis e, por isso, por questões estéticas, precisam ficar muito limpos, tanto quanto a lataria.

A limpeza pode começar a partir da remoção da poeira com uma flanela seca. A sujeira mais profunda pode ser retirada com uma flanela úmida ou mesmo molhada. Porta-luvas e porta-objetos devem ser higienizados da mesma forma, com a mesma atenção.

Sabão e detergente podem deixar o material dos painéis manchados. Por isso, você não deve aplicá-los. Para o acabamento, você pode utilizar silicone líquido, que vai dar uma aparência de novo aos painéis.

É preciso ter cuidado com todos os acessórios de plástico, usando produtos que evitem o ressecamento. Depois de ressecados, eles começam a apresentar rachaduras e acabam se quebrando. Os produtos adequados ajudam a conservar esses itens.

Limpeza do ar-condicionado

Você deve também limpar as tubulações de ar e o filtro na higienização de ar-condicionado automotivo.

Quando poluído, o ar-condicionado pode causar problemas de saúde, inclusive alergias. Esse é um agravante se a pessoa já sofrer de algum problema respiratório. O filtro do aparelho precisa ser substituído semestralmente ou anualmente.

Colocação de todos os componentes do carro

Após a higienização veicular, você deve colocar os itens que foram removidos, tudo no seu lugar adequado. Agora, depois desse upgrade, o cliente já poderá usar um carro renovado, limpo e cheiroso.

O que devo saber sobre os bancos?

O estofamento dos bancos podem ser de tecido ou couro, mas ambos precisam de tratamento. Mesmo os couros sintéticos, ecológicos ou de vinil exigem cuidados parecidos. A diferença é a textura, a temperatura e a transpiração, que são características somente do couro legítimo. O couro de verdade também é bem mais caro, é claro.

Existem também bancos híbridos, ou seja, cujo estofamento apresenta couro autêntico nas partes que mais sofrem atrito (encosto, assento) e couro sintético nas partes restantes (revestimento das portas, apoio da cabeça).

A vida útil dos bancos de couro é de, aproximadamente, cinco anos. Mas a durabilidade do material muda de acordo com as condições de utilização dele.

Assim, se muitas pessoas entram e saem do veículo diariamente ou se ele fica exposto ao sol com frequência, a durabilidade tende a diminuir.

Caso contrário, com a manutenção necessária, o estofamento de couro pode durar até 15 anos ou mais, conforme afirma o consultor de vendas da Courotop, André Ribeiro.

Ainda que não seja realizada higienização veicular, André Ribeiro recomenda que se faça a hidratação regular do banco de couro a cada seis meses. É uma informação importante para o profissional passar ao cliente.

Os estofamentos de cor clara merecem a mesma atenção na limpeza, mas se sujam com mais facilidade. Isso significa que, talvez, as limpezas tenham que ser feitas com mais frequência.

Produtos químicos mais agressivos, com tíner ou álcool, podem retirar a tinta do couro e causar danos ao banco. Ainda que alguns lava-jatos façam uso desses produtos, eles não são aconselhados. Da mesma forma, André Ribeiro não recomenda o uso de óleo Johnson ou de creme Nívea.

Em geral, os bancos de couro são mais saudáveis que os bancos de tecido, inclusive para pessoas que sofrem com algum problema respiratório, como alergia.

A higienização automotiva é um processo que, quando bem-feito, oferece ótimos resultados. O cliente fica satisfeito e a tendência é voltar outras vezes para nova limpeza. Para quem oferece serviços de funilaria, é uma opção interessante para captar e fidelizar clientes.

E aí? O que achou do nosso conteúdo? Deseja oferecer serviços de boa qualidade em sua empresa? Aproveite e faça um curso de higienização veicular na Norton Academy!

Comentários